sábado, 12 de agosto de 2017

Engenheiro brasileiro cria cadeira de rodas revolucionária que sobe e desce escadas - Veja o vídeo

Projeto começou com tese de mestrado é alternativa de mobilidade para deficientes

SAÚDE Osvaldo Albuquerque, Do R7

Edu Enomoto
O kit em separado da cadeira, (a direita) mostra praticidade para utilização
O kit em separado da cadeira, (a direita) mostra praticidade para utilização

Uma queixa comum de quem mora nas grandes cidades brasileiras é a falta de infra-estrutura adequada. Agora imagine uma cadeira de rodas como meio de transporte. Pensou? Então, assim como um ônibus precisa uma pista em boas condições, ou seja, com sinalização e acima de tudo, com segurança, um cadeirante também precisa de calçadas sem buracos e com rampas de acesso.

Click AQUI para ver o vídeo

Pensando nisso, o engenheiro Júlio Oliveto criou em 2011, baseado em sua tese de mestrado, o projeto denominado “Kit livre”. Invenção que ajudará 13 milhões de pessoas cadeirantes que vivem no país, o que representa 7% da população.

Click AQUI e leia mais sobre o assunto

Sou deficiente físico e utilizo muletas para me locomover. Testei o produto Trata-se de uma estrutura que, se acoplada na parte na frente de qualquer cadeira de rodas, transforma-se numa espécie de triciclo motorizado. Esse processo é simples, levando em média, dois minutos. Com a instalação, as rodinhas menores da cadeira, ficam suspensas, o que possibilita subir e descer degraus sem grande esforço braçal, já que o sistema é motorizado. Caso queira retirar kit, basta girar as travas que se soltam sem grande esforço. Aprovei a invenção!

Mas vale a pena adquirir o produto? Sim, vale. Apresenta conforto, estabilidade e segurança para quem usa. Entretanto, como é natural de qualquer nova invenção, necessita de ajustes. Um deles é na utilização da marcha ré na cadeira. Quando testei esta função, apresentou algumas falhas, não obedecendo ao comando dado. Porém nada que não possa ser corrigido com o tempo. Todos os modelos têm buzina e retrovisor, incluindo o que eu testei.



Nenhum comentário: